No contexto da literatura ocultista, Papus, que significa médico da primeira hora, é o nome de uma entidade relacionada à medicina no Nuctemeron. Porém, Papus, é mais conhecido como o pseudônimo de Gérard Anaclet Vincent Encausse, um célebre médico magista espanhol.

Filho do francês Louis Encausse e da espanhola Irene Perez, Gérard nasceu em 13 de julho de 1865, na Corunha, Espanha. Aos quatro anos de idade, sua família mudou-se para Paris, onde o jovem Gérard receberia sua educação acadêmica formal e iniciaria seus estudos de medicina e, paralelamente, tomaria interesse pela literatura ocultista.

Aos dezessete anos ingressou na Faculdade de Medicina de Paris. Nas horas vagas, fazia visitas freqüentes à biblioteca Nacional. Foi neste período que se deparou com os principais escritos de cunho ocultista. Esse contato inicial foi muito importante para despertar o desejo de progredir na carreira médica e, posteriormente, integrar os conceitos alquímicos, astrológicos e filosóficos à atividade profissional. Além da antiga sabedoria dos egípcios, romanos e gregos.

Os anos seguintes foram determinantes para estabelecer Gérard com uma reputação respeitosa entre as sociedades iniciáticas de Paris. Foi neste momento que conheceu o esotérico Alexandre Saint-Yves d’Alveydre, do qual recebeu sua iniciação hermética. Henri Delaage foi o responsável pela iniciação do jovem Gérard na Sociedade dos Filósofos Desconhecidos. Paralelamente, surgiram suas primeiras anotações e passou a integrar e liderar ativamente grupos de estudo e prática alquímica, cabala e outras áreas de estudos.

Em 1887, com apenas 22 anos, escreveu sua primeira obra, intitulada O Ocultismo Contemporâneo. Sua obra, Tratado Elementar da Ciência Oculta, foi recebida no ano seguinte com prestígio na sociedade parisiense e logo conquistou reconhecimento internacional. Em seguida, fundou o Grupo Independente de Estudos Esotéricos, que mais tarde se transformaria em Escola Hermética. No mesmo momento, fundou as revistas A Iniciação e Véu de Ísis; além da Ordem dos Superiores Desconhecidos. Porém, não abandonou a prática profissional de medicina. Pelo contrário, sua tese intitulada A Anatomia Filosófica e suas divisões lhe outorgou o título de Doutor em Medicina, em 1894.

No mesmo período, filiou-se à Sociedade Teosófica e posteriormente ao Templo da Golden Dawn. Foi também consagrado "bispo" da Igreja Gnóstica da França, que tinha por objetivo resgatar a religião dos Cátaros. Em 1897 fundou, juntamente com d’Alveydre, Jollivet Castelot, Sédir, Barlet e Stanislas de Guaita, uma ordem com o intuito de estudar e promover a alquimia.

A ânsia de desenvolver métodos de cura para qualquer enfermidade humana levou Gérard a percorrer vários países europeus nos anos seguintes e confrontar-se com diversas culturas. Entrou em contato com hipnose, homeopatia, técnicas populares, curandeiros e outras fontes, fora do âmbito puramente científico, que enriqueceram seus conhecimentos.

Mesmo os métodos de diagnóstico eram bastante incomuns aos médicos daquele tempo. Gérard observava por clarividência o "astral" do enfermo para avaliar a origem, o tipo e a causa da moléstia. A cura era promovida através do sangue, da urina e de fios de cabelo do paciente. Ainda, segundo suas práticas, as enfermidades eram dividas em três grupos: do Corpo Físico, do Astral e do Espírito; tendo cada uma das áreas, um conjunto de métodos específicos para se obter a cura.

A eficiência de suas práticas elevou sua reputação. Gérard, que a esta altura já era conhecido como Papus, ganhava notoriedade nos meios científicos e, paralelamente, ocultistas e herméticos. Chegou a ir à Rússia, atendendo ao convite do imperador, por três oportunidades.

A trajetória de Papus teve fim no dia 25 de outubro de 1916, acometido pela tuberculose que contraiu enquanto atuava como médico militar na Primeira Guerra. O ambiente familiar, bem como sua formação social, certamente receberam grande influência do intelecto lógico de seu pai, químico por profissão, e da espiritualidade mística de sua mãe, cigana de origem. Desta forma, torna-se mais fácil compreender o desenvolvimento da trajetória profissional de Papus e das influências e combinações místicas que o notabilizaram na sociedade moderna.

Sua contribuição para a medicina alternativa, e mesmo pela convencional, é inegável. Seu legado, composto por aproximadamente 160 trabalhos publicados, é, até os dias de hoje, referência de estudo para profissionais científicos e estudiosos ocultistas.

 

Por Spectrum

 


 

 

Downloads Disponíveis: