Esta banda norueguesa foi formada em novembro de 1996 por Stig Johansen, Glenn Morten e Arild Christensen. Pouco tempo depois, entraram Ola Aarrestad, Anita Auglend e Ingfrid Stensland, para completarem a formação.

No início, chamava-se Purgatory, mas por ser um nome comum e até mesmo haver outras bandas com tal nome, adotaram The Sins of Thy Beloved em seu primeiro trabalho, o MCD All Alone. O nome The Sins of Thy Beloved tem origem na imaginação dos integrantes; é fictício e escolhido justamente pelas palavras do inglês arcaico.

A banda caracteriza-se pelo seu som Doom/Gothic Metal. Por isso, muitas vezes comparada ao Tristania. A viagem das sonoridades entre os timbres líricos de Anita Auglend e o vocal agressivo de Glenn, na medida certa para o estilo, descreve a atmosfera que é criada pelo grupo usando a consistência dos temas que falam de amor, ódio, traição e morte.

No começo de 1997, a banda entra em estúdio para gravar algumas músicas demo. A partir desse ensaio, o TSOTB escolheu três faixas para gravar All Alone. Ainda em 1997, mais precisamente em setembro, o tecladista Anders Thue entra na banda.

Em janeiro de 1998 a música Silent Pain é gravada. Desta vez com o acréscimo do violino afiado de Pete Johansen, que tocou em várias outras bandas como, The Tramps e Tristania. Sua presença intensifica a atmosfera dark da banda. A música é distribuída para várias gravadoras, entre elas a Napalm Records, que fecha contrato em março do mesmo ano.

Em agosto, o The Sins of Thy Beloved inicia no Sound Suite Studio, a gravação de seu primeiro trabalho, intitulado Lake Of Sorrow.

Este nome reflete o clima romântico das composições. As canções All Alone e Worthy of You do trabalho anterior, sofrem uma releitura e os arranjos são aprimorados. Destaque para a faixa de introdução My Love, considerado um épico-gótico, e a bela balada Until The Dark, onde o violino de Pete chora, numa das mais dramáticas atuações.

No final de agosto de 1999, o TSOTB participa de uma coletânea juntamente com Lacrimosa, The Gathering, Nightwish, Within Temptation, Dreams of Sanity, Lacuna Coil, entre outros. No mês de setembro, iniciam-se as gravações do segundo álbum: Perpetual Desolation. Em outubro é produzido um vídeo de 45 minutos, que traz três músicas ao vivo (gravadas em Oberwart, na Áustria), além de um clipe e uma entrevista com o tecladista Anders Thue. No dia 3 de dezembro a banda faz uma apresentação em Zürich.

O lançamento do álbum Perpetual Desolation foi várias vezes adiado pela Napalm Records. Apesar das gravações terem durado aproximadamente dois meses, o disco chegou às lojas apenas em março de 2000, numa tiragem de 10 mil cópias. O álbum com qualidade de gravação e ótimas composições, rapidamente se destaca no cenário Metal. Perpetual Desolation é composto por ótimas canções, como Forever, com seu violino introdutório seguido de vocais rasgados e femininos, e Pandemonium, que mostra toda a qualidade da vocalista Anita ao lado de arranjos de teclado muito bem elaborados. Ainda nesse trabalho, a música Thing That Should Not Be (Metallica), é regravada.

Em abril de 2000 é lançado um vídeo de uma hora de duração, gravado ao vivo na Polônia. No dia 11 de julho, o TSOTB se apresenta no Lowlands Festival, na Irlanda, já com a nova turnê do último álbum. Em janeiro do ano seguinte, participa de mais uma coletânea intitulada With Us or Against Us (Volume IV), com a faixa World of Day. Neste álbum lançado pela Napalm, ainda encontra-se bandas como Darkwell, Trail of Tears, Dargaard, entre outras. No mesmo mês, a vocalista Anita Auglend deixa a banda alegando estar cansada das viagens e não haver tempo livre. Em seu lugar é convidada Hege-Marie Aanby (Stavanger). Porém, ela não se adapta e deixa a banda três meses depois. No final de junho, Anders Thue também deixa o TSOTB por não poder conciliar os estudos e carreira musical. Assim, a banda é obrigada a cancelar sua agenda e dedicar-se exclusivamente ao novo álbum.

Em março de 2002, o TSOTB se apresenta no Jæren Musikkfestival. A ex-vocalista Anita Auglend participa como convidada.

O The Sins Of Thy Beloved definitivamente deixa de ser considerada cópia de outras bandas e aos poucos conquista seu espaço no cenário atual. Com méritos resgata a essência Doom fortificando esse gênero cada vez mais disseminado.

 

Por Spectrum

 


 

 

Downloads Disponíveis:

 

Entrevista: