O Theatre of Tragedy pode ser considerada a banda criadora do estilo Gothic Metal. Aplicando com pioneirismo e originalidade o recurso da voz gutural, aliada aos vocais sopranos femininos.

Sua trajetória tem início em 1994, quando foi lançado o primeiro trabalho demo com o mesmo nome da banda. O álbum Theatre of Tragedy é lançado apenas no ano seguinte, e é considerado um clássico do Metal. A Hamlet For a Slothful Vassal é a primeira música de grande sucesso incluída no primeiro trabalho, e até hoje é essencial nas apresentações ao vivo da banda. Assim, aos poucos o espaço é conquistado na mídia, mas a aceitação pelo público é imediata.

Raymond Rohonyi é o principal compositor e responsável direto pela inovação musical que o Theatre of Tragedy inseriu no Metal. As canções de melodias sofisticadas e arranjos ousados completam a temática das letras escritas em inglês arcaico. Desta forma, o Theatre of Tragedy influencia outros artistas a seguirem o mesmo caminho.

Em 1996 é lançado o segundo álbum Velvet Darkness They Fear que também obteve grande repercussão abrindo definitivamente as portas para que o Theatre of Tragedy participasse de grandes festivais, e chegasse aos ouvidos e corações dos fãs da "música Gótica" e do Metal. Mais de 90.000 cópias foram vendidas na Europa. A voz de Liv Kristine é uma das marcas registradas da banda norueguesa; isso lhe renderia projetos solos paralelos e participações especiais com Heavenwood e Atrocity.

O terceiro álbum Aégis é lançado em 1998 e chega a alcançar a 58ª posição no ranking das mais executadas na Alemanha. Neste álbum, a banda supera as próprias barreiras e mostra uma sonoridade mais dinâmica, devido ao uso de elementos e timbres da música eletrônica, além das mudanças significativas nos duetos entre o vocal gutural de Raymond e Liv. Talvez por isso, os fãs mais antigos ficaram descontentes. Mas por outro lado, o Theatre of Tragedy estendeu sua fama arrastando uma legião de fãs por onde passava. Mostrando que essa postura adotada era adequada para as pretensões da banda.

No álbum Musique foi consolidada a proposta iniciada em Aégis. Os arranjos que oscilavam entre o clássico e eletrônico e o estilo próprio do Theatre of Tragedy, ficaram evidentes nas faixas deste trabalho. Sendo assim, a banda agradou também os ouvintes de outros estilos, e ganhou novos admiradores.

A faixa Image ganhou um clipe e divulgou esta música para todo o mundo. Na seqüência da carreira, a banda parte para uma turnê européia, e confirma a condição de uma grande banda do gênero. No início de 2002, lançam o álbum Closure Live, que foi uma conquista para os músicos. Em março do mesmo ano, chega às lojas o disco Assembly.

A banda Theatre of Tragedy lançou, além do primeiro trabalho demo, outros que intermediavam os álbuns oficiais. A formação é: Liv Kristine Espenaes (vocais), Raymond Rohonniy (vocais), Hein Frode Hansen (bateria), Lorentz Aspen (teclados), Frank Claussen (guitarras) e Vegard K. Thorsen (guitarras).

Porém, em meados de 2003, a banda anuncia em seu site a saída de Liv Kristine. A vocalista diz ter recebido a notícia por e-mail, ter ficado chocada e sentindo-se traída pelos outros integrantes. A justificativa apresentada pela banda é de que havia divergências de idéias sobre os futuros projetos. Liv Kristine continua sua carreira ao lado da banda Leave's Eyes com muito sucesso também. A nova vocalista, Nell (ex The Crest), faz sua estréia em uma apresentação ao vivo na Noruega, em junho de 2004.

A banda faz shows por dois anos, e no final de 2005, se reúne para a gravação de um novo disco. Então em 24 de fevereiro de 2006, é lançado o primeiro single após a saída de Liv Kristine, intitulado Storm.

Depois de exato um mês, é lançado o álbum completo, de mesmo nome. A gravação é uma das melhores qualidades de Storm, méritos do produtor Rico Darum e de Greg Reely, que mixou o disco. A faixa título é a melhor do repertório, seguida de Silence, mas todas têm seus bons momentos. A voz suave e delicada de Nell Sigland se encaixou perfeitamente com o estilo da banda e os fãs aprovaram a nova integrante.

Nos meses seguintes a banda deu continuidade às turnês e a nova formação com Nell se consolidou. Porém, apenas em meados de 2009 surgem rumores a respeito de um novo trabalho. Finalmente, em setembro, é lançado Forever is the World.

O novo álbum traz dez faixas e mais duas bônus que resgatam um pouco a sonoridade dos primeiros trabalhos, trazendo algo mais próximo do Metal do que das viagens eletrônicas dos discos mais recentes. O belo trabalho gráfico da capa, produzido pelo artista Thomas Ewerhad é um dos pontos de destaque.

Com mais de quinze anos de carreira, o Theatre of Tragedy, responsável direto pelo surgimento do estilo conhecido como Gothic Metal e uma das maiores referências do metal, o Theatre of Tragedy não deixa de inovar a cada ano e a cada álbum, mostrando-se como uma banda que caminha à frente de seu tempo mas não esquece seu passado.

 

Por Spectrum

 


 

 

Downloads Disponíveis:

 

Entrevistas: