Talvez muitos não saibam, de fato, o que faz um visual ser gótico, ser dark ou apenas uma mera convenção de pessoas que querem dar uma de "trevosos", por assim dizer. É complicado, principalmente com a difusão dos pseudovisuais góticos por grupos como o Evanescence e a falta de conhecimento da grande mídia, que divulga valores as quais não tem nenhum conhecimento prévio.

É dado que os visuais da cena gótica começaram sob influência do glam rock. O estilo prezava por um visual andrógino, onde ficaria impossível de determinar o sexo da pessoa. Tínhamos homens parecendo mulheres, usando maquiagem, com todo aquele glamour. O som era mais voltado ao rock e tinha um apelo mais visual, pois era mais importante mostrar alguma coisa mais "visível". Isso não significa que o som era menos importante, apenas não era o foco do visual. O som das bandas glam é algo mais cheio de energia e, em alguns casos, misturado com o hard rock. Os grandes nomes do glam rock são o David Bowie, T-Rex e The New York Dolls.

Esse visual tem um apelo muito mais futurista. Começou nos anos 70, na Inglaterra, berço de boa parte das modas musicais do mundo. E tudo começara apenas como uma piada contra os grandes nomes da cena musical, como o Yes. Era uma forma descontraída de ir contra o movimento hippie, muito em voga na época.

Toda essa irreverência e estilo foram passados ao gótico através de uma série de fenômenos musicais. Assim como aconteceu com o visual punk, todo colocado como um sinal de rebeldia contra o sistema, com seus cabelos espetados, coturnos e outros adereços. Esse visual, rebelde, cairia de moda com as bandas de post-punk, que dariam um ar mais sombrio aos rebeldes.

O Joy Division já prenunciaria alguma coisa do visual gótico. Talvez a banda de post-punk mais famosa, eles adotavam um certo visual "retrô". Sobretudos, roupas mais sóbrias, junto com um ar triste e melancólico em seus sons ajudaram a dar um certo "charme" ao que viria, mais tarde, a se tornar um visual gótico. Isso não quer dizer que o visual e a banda sejam góticos. Nunca foram. Apenas que a idéia desse visual já é perceptível a partir desse ponto.

 

 

Os visuais góticos

 

É certo que a primeira banda a começar com a estética visual gótica foi a banda Bauhaus. Peter Murphy e os outros abusavam de um visual nitidamente inspirado no glam de David Bowie. Esse visual, sombrio, decadente, aliado a sua sonoridade mais introspectiva deram a banda a alcunha de gótica. Não é por menos que são dados como os inventores do gótico, com seus penteados e roupas que pareciam antiquadas, indo contra o ideal moderno que se tinha na época.

O The Cure também ajudaria na concepção visual do gótico. Robert Smith usava de roupas escuras, sobretudos, coturnos e penteados inspirados na moda punk. Certamente o seu som melancólico atraia muitos jovens, o que fez com que eles também adotassem esse visual mais denso e carregado. Tanto que esse visual é usado como referência entre quase todas as bandas e fãs do estilo gótico. Mais tarde, cansado disso, o The Cure voltaria seu som a algo mais pop e seu visual em algo mais alegre e feliz.

Siouxsie and the Banshees criou, sob a figura de sua vocalista, boa parte do visual dark que viria a ser incorporado na cena gótica. Maquiagem pesada, roupas fetichistas e performances que influenciaram muita gente ao longo dos anos 80 em diante. Se tem hoje a banda como influente até mesmo em bandas não-góticas. Scarlet, vocalista da banda italiana Theatres des Vampires mostra, em seu visual, claras referências a Sioux Siouxsie, mesmo em sua fase mais black metal.

A moda, gótica, contudo, só ganharia esse estado graças a um clube londrino, a Batcave. Seu foco era a new wave e o glam rock. Com o tempo, passou a incorporar o gothic rock como foco principal de suas atividades musicais. Pessoas como Robert Smith, Siouxsie Sioux, Steve Severin, Foetus, Marc Almond, Nick Cave e Danielle Dax eram freqüentadores desse clube. Por conta disso que a moda dark começou a ser incorporada a uma nascente cena gótica. Movimentos como o gothic rock, dark cabaret e deathrock ganharam força com o advento da Batcave. Nela começaram também os experimentos com música eletrônica, visível em boa parte das bandas de darkwave.

 

 

Moda gótica versus moda metal

 

Muitas vezes as pessoas confundem um visual gótico com apenas "se vestir de preto" e ter um "visual trevoso". E vamos a algumas constatações.

São poucas as bandas de gothic metal que usam ou já usaram algum visual mais glam ou mesmo gótico. Em geral as bandas de metal usam preto como cor principal. Quase nunca diferem desse tipo de coisa, usando roupas comuns, penteados comuns, apenas com uma aparência um pouco mais sombria. Mas nada que tenha alguma importância na concepção visual do seu estilo.

Isso se deve as heranças hard rock do metal. Bandas como Black Sabbath já adotavam um visual mais parecido com o que se vê hoje. Mesmo sem ser algo exagerado, essa concepção foi levada adiante.

Temos os visuais masculinos altamente agressivos. O uso despikes, corpse paint, cabelos compridos desgrenhados, rapazes geralmente fortes, roupas de couro, cintos com balas de armas. Jaquetas de couro com rebites. Expressões e gestos que expressem poder, atitude, força. Réplicas de armas, em estilo medieval. Roupas que expressem o fator violento do som. Os visuais femininos tendem a parecer algo mais vulgar, com roupas mais juntas ao corpo, vestidos com aquele ar mais "antiquado", pouca maquiagem. Cabelos sempre perfeitos, sedosos, compridos.

Já no visual gótico, há uma tendência mais glam, mais feminina. As roupas, por mais sombrias que sejam, nem sempre são pretas ou trazem aquele ar carregado e agressivo. Os homens tendem a usar sobretudos, capas, roupas femininas, maquiagem, penteados diversos. As mulheres possuem um apelo mais sensual e mais provocativo, usando menos da vulgaridade para compor seu estilo. Há o uso intenso de maquiagens, sombras e outros apetrechos. Muito embora seja uma forma mais exagerada de conceber um visual, o gótico não se torna agressivo. Ele deixa transparecer um sentimento mais nostálgico e menos "heróico".

Isso acontece por conta dos valores. O heavy metal carrega valores altamente masculinos, que são a força, a conquista, a brutalidade, o machismo. Já o gótico, por herança do glam rock, traz no seu visual uma estética feminina, que se preocupa com detalhes, com as sutilezas e com a beleza. Esses são trabalhados, há todo um cuidado com o significado do visual atrelado ao som que tocam, coisa que passa desapercebida pelo metal.

 

 

Mas não é possível o metal ser gótico?

 

Algumas bandas do dito gothic metal se valem, vez por outra, do visual gótico ou glam. Um grande exemplo é o Entwine. É nítido que seu visual possui fortes bases de glam rock, tanto que o vocalista possui um certo ar "feminino", coisa que faz com que muitas vezes sejam aceitos pelo meio gótico. Os finlandeses do Reflexion possuem um certo ar de glam em seu visual. Tocam um misto de gothic metal com gothic rock, fazendo um som moderno, assim como seu visual.

Os italianos do Theatres des Vampires possuem um ar gótico em seu visual. Muito embora ainda esteja atrelado ao vulgarismo e ao machismo preconizado dentro da cena metal, há uma forte tendência gótica nele, sobretudo na figura de sua vocalista, Scarlet. Por isso, tomem cuidado ao achar que qualquer roupa preta e um ankh é gótico.

 

Texto original de Fallen Archangel

Extraído de http://gothicground.com